sábado, 13 de outubro de 2012


Conto Rural
Emergência na Chácara

O sujeito desesperado corre para o ruralcel na cabeceira da cama e disca o  190. Depois de dois ou três tu-tus  o policial do outro lado da linha atende e o rapaz esbaforido pede socorro:
- Seu guarda, socorro, socorro, estão invadindo a minha casa e só tem eu minha mulher e minhas filhas !! Eu tô desarmado por que ano passado eu entreguei minhas armas naquela campanha que era pra reduzir a violência no país! Por favor andem logo !
- O endereço? Bom, é que eu moro “pra fora” e a estrada aqui não tem nome, mas é perto da antiga fazenda do falecido Seu Miltinho.
- Referência? Bem, fica mais ou menos uns 40 ou 50 Km da cidade, dependendo do caminho que o senhor tomar.
-Isso, uns 40 ou 50 Km, mas eu conto mais ou menos a partir da venda do Seu Nicolau.
- Onde é a venda do Nicolau? É perto duma placa de ônibus na saída da cidade. Tem uns umas três ou quatro vendas por ali, mas a do Nicolau é a que tem uma plaquinha que diz que vende ovo em conserva da colônia.
- Isso, mas aí o senhor tem que pegar a terceira saída, a que vai pra Sanga Rasa.
- Não, não é na Sanga Rasa a minha chácara, é só a estradada que vai pra lá, depois do senhor andar mais ou menos uns 15 minutos tem uma outra estradinha menor que vem pra cá, mas tem que ter cuidado por que tem várias parecidas naquele trecho. A que vem pra cá é uma que tem um pé de aroeira.
- Isso é uma árvore, mas é da brava, não a da comum.
- Não ela deve de ter uns 2 ou 3 metros e tem a florzinha branca.
- Não , não senhor, é pequenininha, mas o senhor não vai enxergar, por que agora não tá na época da flor. ...
- Bom, se o senhor não achar dá pra parar no bolicho do Tio Medeiros, que fica uns 2 ou 3 Km pra frente. Se o senhor pedir ele lhe explica melhor.
- É, depois o senhor tem que pegar a segunda estradinha à direita, depois a quarta à esquerda e depois a terceira a direita de novo. É  onde o pessoal chama de Estrada velha do Tio Pedro, por que foi ele que fez uns 30 anos atrás. Aí o senhor que achar a quinta porteira. Ela tá meio escondida pelas macegas pra quem vem do lado da cidade. O senhor tem que puxar o arame que faz uma volta por cima do outro, mas tem que ter um jeitinho por que o sistema do Seu Pedrinho, o alambrador,  é um pouco complicado – é que assim fica melhor pras vacas não abrirem a porteira – mas o senhor vai entender logo com se faz.
- Não, não ela é toda feita de arame, mas esse que eu tô falando fica perto do “mestre”  e tem uma volta na ponta.
- Acho que o senhor vai entender logo, é que explicando assim, de longe, parece mais difícil, mas é fácil. Depois o senhor segue pela trilha até achar um mata-burro e aí .... Bah ! seu guarda, me lembrei duma coisa, não vai dar pra fazer este caminho por que semana passada passou uma jamanta e a ponte do Arroio Sâo Miguel  caiu ! Vai ter que fazer outro caminho. Ao invés do senhor pegar a quarta estradinha lá atrás, vai ter que pegar a terceira, mas vai ter que da uma volta de uns 5 a 8 Km mais, e passar por dentro do Arroio do Padre. Aí a viatura vai ter que ser mais alta, por que com a chuva de ontem as águas devem ter subido um pouco. Ah, e era bom que fosse 4x4 por que o barral deve estar grande hoje por lá.
- Não, o Arroio do Padre é um que tem uns araçás na beira, o que o senhor tá pensando deve ser o Arroio da Pedra Grande. Esse é noutra estrada.  Bem, depois de passar o rio o senhor vai achar uma trilha que tem umas guanxumas na beira . Tem que andar até encontrar uma pedra mais avermelhada do que as outras no chão. Nessa Pedra o senhor pode virar à direita e andar uns 500 m pra achar a porteira da chácara, mas aí o senhor vai ter que pular a cerca por que ela tá com um cadeado.
- Isso, isso, mas andem logo por que eu acho que .... tu, tu, tu, tu, tu ....

Nenhum comentário:

Postar um comentário